Receba sua Proposta Técnica Comercial

    Adicionar Unidade

    Compliance: entenda a importância da conformidade para a área de SSMA

    Compliance é uma palavrinha que está muito em alta dentro do mundo corporativo, não é mesmo? Está muito ligada ao cenário de prevenção à corrupção, mas não se resume a isso. Com uma área que está se tornando mais estruturada, já faz parte das exigências das empresas para todas as áreas. E não é diferente para SSMA.

     

    Neste artigo, vamos explorar um pouco mais sobre o que é compliance na área de SSMA, seu conceito, suas implicações e o que deve ser feito para estar em consonância com as exigências. Continue a leitura!

    O que é compliance?

     

    O termo em inglês compliance deriva do verbo to comply (with) – que pode ser entendido como agir de acordo com as expectativas, as regras, as solicitações ou as ordens, por exemplo.

     

    Simplificando, compliance é o conjunto de práticas para garantir que a sua empresa ou setor esteja em conformidade com as normas regulatórias e a legislação.

     

    Parece que é bem direto, mas não é. É um trabalho complexo que perpassa todas as instâncias de um negócio. A principal preocupação é com o envolvimento direto ou indireto da empresa com corrupção e lavagem de dinheiro, mas não se resume somente a isto. O trabalho de compliance busca mais ações para tornar a análise de informações mais eficaz, antecipando qualquer sinal de risco.

     

    LEIA TAMBÉM: Coloque a transformação digital em prática com 5 dicas para SSMA

     

    Se sua empresa está aplicando compliance, significa que existe uma ação direta para a transparência e a integridade, além de mostrar uma maturidade elevada de gestão. 

     

    Já a empresa que ainda não está estruturando o compliance, está correndo grandes riscos de maneira desnecessária. Essa desatenção pode gerar perdas financeiras, patrimoniais e de imagem.

     

    Compliance são processos de melhoria contínua

    Muitas empresas possuem um time de compliance e trabalham em parceria com diversos setores. Já outras empresas, essa função é estruturada pelos próprios setores. O ideal é trabalhar com uma visão macro, englobando todos os aspectos do negócio.

     

    No entanto, se sua empresa ainda não está trabalhando com o ideal, ainda assim é preciso atuar para garantir que as ações realizadas por você e sua equipe estejam seguindo as exigências.

     

    Se você está começando agora a traçar um plano de compliance na área de saúde, segurança e meio ambiente da sua empresa, comece levantando todas as normas e legislações específicas da área. Assim, fica mais fácil enxergar todas as exigências que é preciso atender.

     

    Agora está na hora de desenhar os processos! Avalie todas as atividades em que seu time está envolvido para entender o que está funcionando de acordo com as exigências normativas e legais e, também, o que não está funcionando. Identifique todos os erros nos processos.

     

    Logo em seguida, o momento é de resolver todas as não conformidades. Defina um método para sanar cada um desses pontos. Atuar diretamente nesses problemas é a melhor maneira de chegar ao resultado esperado: o atendimento às exigências legais. 

     

    LEIA TAMBÉM: Indústria 4.0 – entenda o processo de digitalização da área de SSMA

    Compliance gera muito mais benefícios!

     

    O principal objetivo de compliance nas corporações é, obviamente, atender às normas reguladoras do setor e às leis. No entanto, muitos outros benefícios são gerados:

     

    – prevenção de perdas;

    – redução de acidentes;

    otimização na utilização dos recursos do negócio;

    – melhor gestão de produtos e equipamentos de risco;

    – maior produtividade dos colaboradores;

    – diminuição de retrabalho.

     

    A tecnologia como aliada de compliance

     

    As ferramentas digitais devem ser as grandes parceiras no atendimento às exigências de compliance. Com elas fica mais fácil mapear riscos, verificar as aderências das práticas, automatizar as ações, produzir relatórios sobre os processos e integrar áreas. 

     

    A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), por exemplo, entrou em vigor em setembro de 2020. O prazo final para as empresas se adequarem é maio de 2021. Ela controla os aspectos específicos sobre os dados pessoais, mesmo de colaboradores e terceirizados. As tecnologias precisam atender às novas exigências e facilitar o trabalho do seu time, caso se aplique a realidade da sua empresa.

     

    TERCEIRIZAÇÃO: Entenda porque esse é o elo estratégico da indústria

     

    Continue acompanhando o blog da GAP

    A GAP Sistemas é uma startup focada no desenvolvimento de soluções tecnológicas para as áreas de Segurança do Trabalho, Saúde Ocupacional e Meio Ambiente.

     

    No nosso blog, acompanhe diversos conteúdos interessantes sobre indústria 4.0, SSMA, terceirização, tendências para o setor industrial e muito mais.

     

    Aproveite para seguir a GAP Sistemas nas redes sociais: Facebook, Instagram e LinkedIn.